Email diminui seu QI mais do que fumar maconha. Será?

Será que um maconheiro consegue ser mais produtivo do que um típico executivo lendo emails em seu BlackBerry?

Tim Ferriss e a manchete “Marijuana ganha de Blackberries em produtividade”

Em artigo no Huffington Post, o autor Tim Ferriss relatou uma curiosa pesquisa feita em 2005 pela King's College de Londres.

De acordo com o artigo, um teste de QI foi aplicado em três grupos. Um primeiro grupo era de controle, o segundo estava distraído lendo emails e atendendo telefonemas e o terceiro grupo tinha fumado maconha.

O primeiro grupo teve uma performance melhor do que os demais por uma média de 10 pontos. Porém, os que estavam com o celular na mão perderam pros maconheiros por 6 pontos de desvantagem.

Será que é mesmo isso?

Não.

Como eu sempre recomendo, é essencial tomar muito cuidado com os gurus de auto ajuda que não seguem metodologia científica em suas pesquisas.

Outra história que não tem fundamento algum é a tal pesquisa feita com estudantes de Yale que tinham objetivos na vida. Diz a lenda urbana que quem tinha objetivos ficou muito mais rico do que os que não tinham metas definidas. Vários autores repetem essa história igual papagaios com preguiça de checar as fontes.

Todo mundo foi trollado com a falsa pesquisa sobre produtividade, emails e maconha.

Tanto Tim Ferriss, como o Huffington Post e uma série de publicações “sérias” fizeram uma pesquisa meia boca e sairam criando manchetes cheias de hype para conseguir audiência:

  • o The Guardian anunciou que o email, SMS e outras tecnologias de comunicação “eram uma maior ameaça ao QI e concentração do que consumir cannabis”;
  • o London Times disse de forma alarmista que a tecnologia pode “diminuir o QI mais do que pelo dobro ao fumar marijuana”;
  • a CNN constatou “redução de produtividade, deixando as pessoas cansadas e letárgicas” pela pesquisa;
  • até a BBC (que eu admiro muito) comeu bola, dizendo que a pesquisa contou com 1100 participantes e 80 testes clínicos, aplicando a péssima prática de jornalismo marrom de aumentar a proporção da história, jogando o número de 1100 participantes no estudo.
Fumar maconha e fazer multitasking: o que afeta mais a produtividade?

Isso daria a entender (apesar de não explícito) que os cientistas reuniram uma galera fumando centenas de baseados no laboratório. Só eu achei isso esquisito? Até onde eu saiba, isso poderia ter problemas com a justiça na Inglaterra.

  • o Red Herring e o the Mirror também foram trollados, a ponto de cometer a vergonhosa remoção silenciosa de seus conteúdos depois de perceber a falta de competência ao preparar os textos. Os links originais (que não funcionam mais) eram esse e esse.

Efeitos do multitasking e maconha sobre a produtividade

Quando era hora de fazer a referência, mencionaram o Dr. Glenn Wilson, na época psicólogo do King's College London. Ele seria o responsável pelo “Infomania Study” realizado em caráter particular para a Hewlett-Packard.
A explicação da pesquisa, nas palavras do próprio Dr. Wilson, é menos chamativa e bombástica do que Ferriss e a CNN gostariam. Segue a tradução livre de email enviado a Mark Liberman:

O ‘Infomania study' tem sido a desgraça da minha vida. Fui contratado pela H-P por um único dia para orientar um projeto de relações públicas e não imaginava a proporção disso (e minha responsabilidade) receber tanto hype na mídia.

Havia duas partes da ‘pesquisa' (1) uma pesquisa estilo Gallup de cerca de 1000 pessoas que admitiam utilizar inadequadamente a tecnologia em várias formas (por exemplo responder emails e atender telefonemas durante reuniões com outras pessoas) e (2) um pequeno experimento interno com 8 participantes (dentro do S design) mostrando sua capacidade em resolver problemas (em problemas de matrix) havia sido seriamente prejudicada por causa de emails (piscando em suas telas de computador) e seus próprios telefones celulares tocando de tempos em tempos (os quais deveriam ser ignorados) em comparação com um grupo de controle em quietude. Isso, como você diz, é um um efeito temporário de distração, e não uma perda permanente de QI. As comparações com fumar maconha e insônia foram criadas por outros, contra minhas recomendações, e os 8 Ss de alguma forma se transformaram em '80 testes clínicos'.

Desde então, tenho recebido as mesmas perguntas cerca de 20 vezes por dia e isso está me deixando biruta.

Além desse email, existe uma nota oficial sobre o experimento Infomania na página do Dr. Glenn Wilson.

Mas qual é, afinal, o efeito das notificações sobre a produtividade? Estou escrevendo um post sobre produtividade que deve sair em breve no Papo de Homem. Minha maior birra com as interrupções é que elas prejudicam o estado de Flow e portanto nossa performance ótima não é atingida.

O texto de hoje foi mais voltado a prestarmos muita atenção na qualidade das informações que recebemos. E não é apenas por vir de uma “marca” consagrada como a BBC que podemos aceitar literalmente tudo o que aparece pela frente.

p.s. Só para aproveitar o assunto da vez, na data de publicação deste post, muita gente está comentando a suposta trollagem das garotas tchecas do @weluvbrazil em cima do Programa Pânico. Caso realmente tenha sido o caso de o Pânico ter caido numa pegadinha, será que não é um exemplo de preguiça da equipe em checar as fontes?